Página Inicial







Mundo: Mulheres e raparigas são mais de 70% das vítimas do tráfico humano
31 de Julho de 2018

As Nações Unidas assinalaram na segunda-feira, 30 de julho, o Dia Mundial contra o Tráfico de Pessoas e destacaram que mulheres e raparigas representam 70% das vítimas deste flagelo.

 

Atualmente, 71% das pessoas traficadas são raparigas e mulheres.  30% das vítimas do tráfico humano são crianças.

 

“É preciso fortalecer as formas de combate a esse crime”, referiu Maria Grazia Giammarinaro, especialista no tema, a lembrar que muitas pessoas são enganadas por criminosos e traficantes incluindo migrantes, refugiados e solicitantes de asilo, em busca de proteção ou de uma vida melhor.

 

Para a relatora Maria Grazia Giammarinaro, o clima político atual contra a migração trata quem tem de sair de seu país de origem como uma ameaça, quando essas pessoas, segundo ela, contribuem para a prosperidade dos países onde vivem e trabalham.

 

A relatora da ONU é clara ao dizer que os países têm a obrigação de evitar o tráfico, que é uma grande violação dos direitos humanos.

 

Para o secretário-geral das Nações Unidas disse que o tráfico humano é um “crime abominável” que alimenta situações como desigualdades, instabilidade e conflitos.

 

António Guterres destacou que traficantes humanos “lucram com a esperança e o desespero” de suas presas, que são as pessoas mais vulneráveis e de quem são roubados os seus direitos humanos.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados