Página Inicial







Síria: Mais de 1.100 crianças mortas em 2018
12 de Março de 2019

Somente em 2018, 1.106 crianças foram mortas nos combates na Síria. É o maior número de crianças mortas em um único ano desde o início da guerra e esses são apenas os números que as «Nações Unidas» (ONU) foram capazes de verificar, o que significa que os números reais podem ser muito maiores.

 

A contaminação por minas é agora a principal causa de mortes de crianças em todo o país, com munições não detonadas a representar 434 mortes e ferimentos no ano passado.

 

Em 2018 também foram identificados 262 ataques contra instalações de educação e saúde.

 

“Existe hoje um equívoco alarmante de que o conflito na Síria está a chegar ao fim. Isto não é verdade. Crianças continuam em perigo tanto quanto em qualquer outro momento durante os oito anos de conflito”, afirma a diretora executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), Henrietta Fore.

 

“Estou particularmente preocupada com a situação em Idlib, no noroeste da Síria, onde uma intensificação da violência matou 59 crianças apenas nas últimas semanas”, alerta.

 

Fore alerta também para a situação “desesperadora” das famílias em Rukban, perto da fronteira com a Jordânia, “com acesso limitado a comida, água, abrigo, cuidados de saúde e educação”.

 

“Estou alarmada com a piora das condições no campo de Al Hol, no nordeste do país, que hoje abriga mais de 65 mil pessoas, incluindo cerca de 240 crianças desacompanhadas ou separadas”, confessa a responsável da ONU.



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados