Página Inicial







Portugal: Com os jovens no coração
11 de Abril de 2018

A Comissão da Família Comboniana propôs o tema «São Daniel Comboni: desafio para os jovens de hoje» para o ano pastoral de 2017-2018 em sintonia com a Igreja universal que, liderada pelo Papa Francisco, prepara a XV Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre «Os jovens, a fé e o discernimento vocacional».

 

O Sínodo dos jovens, que decorre no Vaticano de 3 a 28 de outubro, está a ser preparado de uma maneira inovadora usando o espaço digital.

 

O Papa Francisco apresentou o Documento Preparatório com uma carta aos jovens, escrita a 13 de janeiro de 2017. «Eu quis que vós estivésseis no centro da atenção, porque vos trago no coração», escreveu logo no início da missiva, convidando os jovens a «saírem» ao jeito de Abraão.

 

E continuou: «Um mundo melhor constrói-se também graças a vós, ao vosso desejo de mudança e à vossa generosidade. Não tenhais medo de ouvir o Espírito que vos sugere escolhas audazes, não hesiteis quando a consciência vos pedir que arrisqueis para seguir o Mestre. Também a Igreja deseja colocar-se à escuta da vossa voz, da vossa sensibilidade, da vossa fé; até das vossas dúvidas e das vossas críticas. Fazei ouvir o vosso grito, deixai-o ressoar nas comunidades e fazei-o chegar aos pastores.»

 

O Papa argentino confiou os jovens a Maria de Nazaré, «uma jovem como vós, à qual Deus dirigiu o seu olhar amoroso, a fim de que vos tome pela mão e vos guie para a alegria de um “Eis-me!” pleno e generoso.»

 

A preparação do Sínodo incluiu dois questionários: um sobre a pastoral vocacional juvenil e outro, na internet, disponível para quem o quiser preencher.

 

O Papa também organizou uma reunião pré-sinodal com mais de 300 jovens de todo o mundo no Vaticano de 19 a 24 de março que contou com a participação de outros 15 mil jovens em fóruns nas redes sociais.

 

Que provocações nos coloca o tema «São Daniel Comboni: desafio para os jovens de hoje»?

 

Os jovens tinham um lugar especial no coração de São Daniel Comboni. A palavra jovens aparece 321 vezes nos Escritos, jovem 191 vezes e juventude 43 vezes. Ao todo são pelo menos 555 registos se o localizador do Word não me trocou as voltas!

 

E o que escreve Comboni? Muitas e variadas coisas sobre os jovens africanos, os jovens missionários e a sua própria juventude.

 

Nota que os primeiros convertidos eram quase todos jovens (E 207); alegra-se com o progresso dos jovens (E 450); resgatou cinco jovens Oromos (chama-lhes Galla) no mercado de escravos de Adem (E 597); nota com alegria que as jovens africanas bordaram um paramento valioso para o Papa (E 678, 690); inclui no Plano o trabalho dos jovens catequistas (E 831-835); denuncia o tráfico de jovens africanos (E 865-866); procurou «por todos os meios ganhar o coração dos jovens» (E 871). Encomenda-se à oração das jovens do Instituto (E 1027); e quer que apressem a preparação «de jovens corajosos, habituados a toda a espécie de agruras, mortificações e sacrifícios: tal deve ser o apóstolo da África, o qual deve pôr-se inteiramente nas mãos da Providência» (E 1215).

 

Comboni também se preocupa com «a libertinagem e corrupção da juventude moderna» (E 140-141, 316), mas escreve: «a juventude está sujeita a certas crises inevitáveis, não nos devemos admirar; chegado o tempo da maturidade, as coisas acalmam-se» (E 783); e proclama: «mas a juventude é sempre juventude» (E 1755).

 

Sublinho esta mensagem de esperança: «Esta juventude, na qual depositamos as maiores esperanças, representa um conforto para o coração do missionário, que a rodeia de amorosos cuidados» (E 4966).

 

Tanto Comboni como Francisco trazem a juventude no coração: ambos acreditam nos jovens. Este é o nosso grande desafio: continuar a acreditar nos jovens em tempo de grande carestia vocacional, acolhê-los em casa e no coração e cuidar deles.

 

Os jovens continuam a ser generosos e a responder às grandes causas ao seu jeito que é diferente do nosso.

 

Em fevereiro de 2017 havia 745 candidatos ao presbitério diocesano nos pré-seminários, seminários menores, propedêutico, seminários maiores e no ano pastoral. Os dados são da Comissão Episcopal Vocações e Ministérios.

 

Por outro lado, segundo a FEC, 389 jovens e adultos estão empenhados em projetos de voluntariado missionário de curto, médio e longo prazo no estrangeiro e 1014 desenvolvem atividades de voluntariado/missão em Portugal no ano passado.

 

A Missão País 2018 contou com cerca de 3000 universitários que participaram em 52 missões organizadas por 43 faculdades durante a semana de férias do Carnaval.

 

Os testemunhos dos oito jovens do «Fé e Missão» que no verão de 2017 estiveram um mês em Carapira (Moçambique) vão nesta linha: fiquei encantado pelo modo como responderam e continuam a responder aos desafios que a missão lhes coloca.

 

Resta-nos encher o coração dos jovens, dar-lhes o nosso coração, vez e espaço, e acreditar neles!

 

E continuar a rezar pelas vocações, a primeira empresa dos enviados de Jesus: «A colheita é muita, mas os trabalhadores são poucos. Pedi, pois, ao Senhor da colheita que envie trabalhadores para a sua colheita. Ide» (Lucas 10, 2-3a).

 

Por José da Silva Vieira - Jirenna



© copyright Missionários Combonianos - Revista Além-Mar | Todos os direitos reservados